1. O que é ADS-B?
Sistema Automático de Transmissão e Vigilância Auxiliar (também conhecido pela sigla ADS-B do inglês Automatic Dependent Surveillance-Broadcast ) é um sistema pelo qual as aeronaves transmitem constantemente sua posição atual e altitude, categoria da aeronave, velocidade no ar, identificação, e se aeronave está fazendo curvas, subindo ou descendo para um receptor de rádio de dados dedicado.

Esta funcionalidade é conhecida como “ADS-B out” e é o nível básico de funcionalidades do ADS-B.

O sistema atual de ADS-B foi desenvolvido nos anos 90, embora sua origem data dos anos 60. Utiliza os dados do sistema GPS (Global Positioning System), ou qualquer sistema de navegação que proporcione um sistema equivalente ou melhor. O alcance máximo do sistema é a “linha de vista”, tipicamente em torno de 200 milhas náuticas (370 km).

As transmissões de ADS-B são recebidas pelas estações de controle de tráfego aéreo, e todas as aeronaves equipadas com ADS-B dentro do alcance de recepção. A recepção dos dados feita pela aeronave é conhecida como “ADS-B in”.

O uso inicial do ADS-B é esperado pelo controle de tráfego aéreo com o objetivo de vigilância e desenvolvimento da consciência situacional do piloto. O ADS-B é mais barato do que o sistema convencional de radar e permite uma vigilância de melhor qualidade para movimentos por via aérea ou terrestre. O ADS-B é eficaz em áreas remotas ou terrenos montanhosos onde não há nenhuma cobertura radar, ou onde a cobertura de radar é limitada. O interior da Austrália é uma destas áreas, onde o ADS-B provê vigilância radar onde não havia nenhuma. Também, o ADS-B ajuda a vigilância na superfície do aeroporto, onde pode ser igualmente usado para monitorar o tráfego nas taxiways e nas pistas de decolagem.

As aeronaves equipadas com o ADS-B podem visualizar numa tela na cabine o tráfego aéreo circunvizinho enviados dos dados do ADS-B (ADS-B in) e dos dados TIS-B (Transmissão de Serviço de Informação de Tráfego) originários do radar de tráfego aéreo. Ambos, pilotos e controladores de tráfego aéreo, poderão “ver” a posição do tráfego aéreo próximo da aeronave, e desta maneira podem ser usadas para prover uma ASA (Sistema de Segurança de Separação Aeronáutico).

O Sistema Avançado de Separação de Colisão podem no futuro fazer uso do “ADS-B in”, suplementando o sistema avançado de colisão TCAS pelo qual é chamado de “vigilância híbrido” Airbus e Boeing esperam incluir o “ADS-B out” (i.e. o transmissor de informações) como padrão nas novas aeronaves fabricadas em 2005 em diante.

2. O que eu vou ouvir?

Como a ideia do site é englobar a terminal do Rio de Janeiro, você irá ouvir: a torre de controle do aeroporto Santos Dumont, a torre de controle do aeroporto do Galeão mais 10 frequências do controle de aproximação do Rio de Janeiro e a frequência internacional de emergência.

3. Eu escuto a fonia, porém não vejo a aeronave no radar, por que?

Algumas aeronaves não dispõem do sistema ADS-B, por isso não são mostradas no radar.

4. Por que nem todas as aeronaves utilizam o sistema ADS-B?

Além de ser um sistema de alto custo, ainda não é obrigatório.

5. Qual o alcance do sistema de radar do site AeroRadar?

O alcance depende de alguns fatores como altura e posicionamento da antena, além de uma área livre de obstáculos, o que hoje em dia é difícil, porém o alcance máximo que o radar do site pode ter é de 350 milhas náuticas (648 quilômetros) de distância em linha reta (sem obstáculos).

6. As vezes eu vejo uma aeronave “congelada” no aeroporto. Por que?

Isso significa que a aeronave está realmente no aeroporto e ainda não desligou o sistema. Não é raro acontecer isso, por exemplo, com a aeronave presidencial (FAB2101).

7. As vezes eu vejo uma aeronave “congelada” fora do aeroporto. Por que?

Pode ser um erro do sistema ou até mesmo algum tipo de interferência, seja ela na antena, no ar ou algum obstáculo impedindo o alcance do radar.

8. Eu não consigo ver aeronaves militares no radar, por que?

Apenas algumas aeronaves militares dispõem do sistema ADS-B. As aeronaves de caça, por exemplo, possuem o sistema especificamente militar e por questões de segurança não serão identificadas no radar do site.

9. Os voos que eu vejo na tela do radar são em tempo real?

Sim, são em tempo real. Algumas aeronaves (de cor laranja), por questões de segurança, têm um delay de 5 minutos, ou seja, o que você vê na tela, aconteceu 5 minutos antes.

10. As vezes uma aeronave some do radar e logo em seguida volta. Por que?

Pode ser alguma interferência prejudicando o alcance do radar.

11. É proibido ouvir as frequencias de aviação?

Desde que não interfira nas comunicações, não é proibido.